Varal de Cordéis Joseenses

Contato: prbarja@gmail.com

(Sugestões de temas são bem vindas!)



quinta-feira, 24 de maio de 2012

Décimas para Zenilda

 
Às vezes sinto a paz ameaçada
ao escutar discursos e sermões;
mas sei, também, dar belos safanões
em quem critica muito e não faz nada...
Eu tenho a alma desassossegada,
por isso é que festejo a ALEGRIA
que sinto ao receber toda POESIA
que chega dessa amiga tão valente:
Zenilda é verso puro, minha gente,

e vale muito mais que academia!

Mantemos nossos braços sempre abertos
pra Lua, companheira de jornada
que junto às flores faz sua morada,
enchendo de alfazema até os desertos.
Aos invejosos, digo: fiquem certos
de que essa minha amiga, todo dia
conduz a VIDA assim, com maestria,
é doce e não a quero diferente:

Zenilda é verso puro, minha gente,
e vale muito mais que academia!

P.R.Barja

2 comentários:

  1. Desse jeito eu fico encabulada
    Grão de bico em dia de colheita
    Consciência e alma satisfeita
    Xique-xique em tempos de invernada
    Lata d’água cantando pela estrada
    Flor do campo cobrindo caderneta
    Canto doce num peito que se ajeita
    Sentimentos guiados por sorriso
    Amizade é TUDO que preciso
    Paulo Barja, sem vocês, sou quase NADA!

    Continuo pelos jardins com vocês
    Cantorias, horta e pomares
    Céu de lírios, abraços seculares
    Pinheirinho, labores, escassez
    Sonhos prontos e palmas toda vez
    Que escutar poesia de primeira
    Sou valente, criei-me na Trincheira
    Escapei sem zangar o Paraíso
    Amizade é TUDO que preciso
    Paulo Barja, sem vocês, sou quase NADA!

    Um abraço fraterno meu amigo de sincero encanto e gratidão dobrada.
    Estou chorando...Contei, pronto!
    Ainda sou fraca para merecer tamanho apreço.

    ResponderExcluir
  2. Você é forte, amiga querida! Mas o melhor: forte e doce. O mundo agradece! Abraços e saudações cordelísticas de chapéu tirado em respeito a grandeza docêis!

    ResponderExcluir

Vídeos (seleção)

Loading...